Gramática – Regência Verbal Parte II

 

 

Dando continuidade ao que vimos no artigo anterior, falaremos agora sobre a regência verbal com verbos transitivos indiretos. Para quem não leu o primeiro artigo, basta clicar neste link: “Regência Verbal Parte I”.

 

Regência verbal com VERBOS TRANSITIVOS INDIRETOS

Ao contrário dos verbos transitivos diretos, que não precisam de preposição, os transitivos indiretos necessitam de um complemento. Observem alguns exemplos:

 

ACREDITAR

Acredita-se ou não em alguma coisa:

– Desde o início, acreditei em seu potencial.

NOTA:

Quando o seu complemento for uma oração, a preposição é dispensada:

– Nunca acreditei que ele conseguisse vencer a competição.

 

AGRADAR

No sentido de satisfazer, utiliza-se a preposição “a”:

– O projeto do engenheiro agradou à construtora.

 

AGRADECER

Quando o objeto indireto for uma pessoa:

– Ela agradeceu ao gestor a bonificação que recebeu.

 

APELAR

Com o sentido de pedir ajuda, usa-se a preposição “a” ou “para”:

– O rapaz apelou ao gerente do banco para que ele reduzisse as taxas do seu cartão de crédito.

 

ASSISTIR

No sentido de presenciar ou ver:

– O menino assistiu ao desenho pela centésima vez.

 

ASPIRAR

No sentido de desejar:

– Ela aspirava ao cargo de primeira dama, mas o marido não conseguiu vencer as eleições.

 

ATENDER

Quando se trata de algo (objeto não personificado):

– As operadoras de telefonia não costumam priorizar às necessidades dos seus clientes.

 

COMPARECER

Pode ser usado com a preposição “a” ou “em”:

– Ontem, compareci ao fórum para participar de uma audiência.

– Ontem, compareci em um audiência no fórum.

 

COMUNICAR

Quando comunicamos algo a alguém:

– Ela resolveu comunicar aos pais que iria fazer um intercâmbio no próximo ano.

 

COMPARECER

– Não pude comparecer à festa de quinze anos da minha sobrinha.

 

ESQUECER/LEMBRAR

Utilizamos a preposição “de” quando estiver acompanhado de um pronome:

– Não se esqueça de avisar o gestor que amanhã você estará ausente.

Lembre-se sempre da época em que era pobre e que não tinha dinheiro nem para comer.

 

INFORMAR:

Quando fazemos referência a alguém:

– O prefeito informou o cancelamento do carnaval aos munícipes.

 

OBEDECER:

Obedecemos a alguém ou a alguma coisa:

– Não vou obedecer ao reitor.

– Não vou obedecer ao seu chamado.

 

PAGAR:

Você paga algo a alguém:

– A empresa ainda não pagou aos funcionários o décimo terceiro.

 

PREFERIR:

Sempre preferimos algo a alguma coisa:

Prefiro lasanha à macarronada.

 

RESPONDER:

– O entrevistado não queria responder às perguntas do apresentador.

 

VISAR:

No sentido de pretender, desejar:

– Desde o início, ela visava ao dinheiro do falecido.

 

Verbos com sentido similar:

Morar – Moro na Rua das Garças.

Residir – Os pais residiam na Avenida dos Bosques, em Minas Gerais.

Morar em – Ele morou em Manaus, mas não se adaptou.

NOTA:

A frase “Moro à Rua das Garças” está incorreta.

A frase “Os pais residiam à Avenida dos Bosques, em Minas Gerais” está incorreta.

 

Alguns verbos com sentido similar de “informar”:

Avisar – Ela avisou ao marido que precisava de dinheiro para pagar as contas.

Advertir – O juiz advertiu ao réu que não toleraria mais qualquer insulto aos presentes no tribunal.

Comunicar – A professora comunicou aos alunos que a prova seria adiada.

Prevenir – Eu preveni à diretora que haveria aumento do valor da passagem aérea.

 

Verbos que indicam direção ou sentido:

Chegar a – Cheguei à rodoviária a tempo de pegar o ônibus.

Chegar de – Cheguei da rodoviária e fui direto para o trabalho.

 

Ir a – Fui ao mercado e gastei todo o meu dinheiro.

Ir de – Fomos de trem para Lisboa.

Ir para – Amanhã, ele irá ao colégio para refazer a prova.

 

Retornar a – Retornei ao lugar onde havia morado por muitos anos.

Retornar de – Retornará de Los Angeles e o verei em breve.

 

Voltar a – Voltarei para a minha cidade natal.

Voltar de – Voltamos de férias e continuo cansado.

Voltar para – Ela voltará à Bahia no próximo mês.

 

Há muitos outros verbos que são acompanhados de preposição. Os que constam no artigo são só alguns exemplos que podem, às vezes, causar confusão.

Gostaria de ler seu comentário sobre o post.