PROFT 2018 – Os bastidores da interpretação de audiodescrição

O PROFT 2018 era um evento esperado desde o início do ano, quando as inscrições foram abertas. Já sabíamos que assistiríamos a palestras especiais, elaboradas por profissionais tradutores e/ou intérpretes que ansiavam por compartilhar as suas experiências com os participantes. E eis que a professora, doutora, tradutora, audiodescritora e organizadora do Simpósio do Tradutor ꟷ Ana Julia Perrotti-Garcia ꟷ veio com uma ideia inovadora: fazer a audiodescrição de algumas palestras que seriam ministradas nos dias 16 e 17 de novembro de 2018.

Aqui, faço um parênteses para explicar que a professora Ana Julia ministra cursos de audiodescrição na USP e por meio da plataforma de cursos da Azimuth e-Learning, portanto, essa seria uma oportunidade única aos alunos que já possuíam os seus certificados.

Vibração total e hora de arregaçar as mangas, já que faltavam aproximadamente quarenta dias para a organização e finalização dessa proposta. Quer saber como foi possível? Vem comigo que eu conto tudinho sobre os bastidores dessa experiência fantástica e extremamente gratificante.

 

O PRIMEIRO PASSO

Começamos a convidar os colegas audiodescritores tanto para a elaboração dos roteiros como para a interpretação. Como seriam somente quatro palestras a serem audiodescritas, nem todos os colegas puderam interpretá-las, mas ajudaram na construção das falas. As palestras já estavam definidas e, gentilmente, os palestrantes nos enviaram os seus slides com antecedência. Quero deixar claro que nem sempre isso acontece, haja vista que alguns palestrantes preferem guardar as suas apresentações para mostrá-las na íntegra, no dia “D”. Por isso, aproveitamos para agradecer aos profissionais que concordaram em compartilhar previamente os materiais com a nossa equipe.

Palestras – 16 de novembro de 2018

  • “Tradução e acessibilidade” (Luka Corrêa Figueiredo)
  • “Recursos para a tradução de obras que apresentam diglossia ou alternância de modalidades” (Júlia Cardoso Rodrigues)

Palestras – 17 de novembro de 2018

  • “A fantástica história da tradução no Brasil e a valorização do profissional tradutor-intérprete: a utopia de um livro” (Damiana Rosa de Oliveira e Andreia de Jesus Cintas Vazquez)
  • “Atrás da tradução nem sempre vai o trio elétrico” (Ligia Maria Ribeiro)

 

De posse dos slides, era a hora de elaborar os roteiros, principalmente aqueles com imagens. Os roteiristas se empenharam ao máximo para criá-los; durante dias, foram revisões e mais revisões tramitando de um lado a outro até a composição de um roteiro final. A próxima etapa seria a formação das duplas de intérpretes. Mais uma vez, os canais de comunicação foram constantemente ativados até que houvesse um consenso final, dentro do prazo estipulado. Ufa!

 

O GRANDE DIA

O grande dia havia chegado. A nossa cabine… o nosso momento… a nossa responsabilidade… o nosso trabalho. A alegria de poder ter a mesma experiência de muitos outros colegas que já trabalham como intérpretes. E a autora deste artigo teve o imenso privilégio de entrar pela primeira vez em uma cabine de interpretação junto com a exímia profissional e agora também audiodescritora, Mariana Sabino.

 

(Mariana Sabino e Ligia Ribeiro)

 

(Luiza Santi e Fernanda Brahemcha)

 

Aquela caixinha, carinhosa e respeitosamente mencionada, fica no seu cantinho e só é lembrada quando uma voz enaltece o seu interior e faz com que os olhos da plateia se virem para ela ou, na pior das hipóteses, quando algo não ocorre da forma previamente programada. E partindo desse pressuposto, que tal saber mais sobre o que realmente aconteceu dentro dessa cabine, que agora faz parte dos trabalhos desse grupo de audiodescritores que amam o que fazem?

 

O TRABALHO DE INTERPRETAÇÃO

Falar sobre as emoções dos audiodescritores pode ser mera circunstância, pois obviamente elas seriam marcantes: nervosismo, coração batendo forte, preocupação e muita alegria de poder realizar um trabalho belíssimo de inclusão.

No entanto, descobrimos que o improviso vem atrelado ao planejamento inicial. Em um evento ao vivo, tudo pode acontecer: convidado que, sem perceber, fica à frente da janela da cabine no momento em que o audiodescritor inicia a descrição de um aspecto da palestra; palestrante que altera o conteúdo dos slides previamente enviados (isso é perfeitamente normal) e o audiodescritor tem que descrevê-los novamente de imediato; roteiro que não pode ser lido em virtude de não haver tempo hábil para a inserção da fala; som de conversa do lado de fora da cabine que acaba se propagando no seu interior e interferindo na concentração; botões de controle interno de interrupção de som que não são acionados e as falas dos audiodescritores repercutem nos fones de ouvidos dos convidados; slides com imagens ou letras muito pequenas que dificultam a visão dos profissionais que se encontram na cabine, e por aí vai.

Contudo, essas intempéries não superam, nem de longe, os objetivos de um intérprete de audiodescrição: o respeito às pessoas com deficiência visual e a possibilidade de incluí-las nos eventos como participantes principais e não como mero coadjuvantes.

 

O RESULTADO FINAL

Formamos uma equipe coesa, profissional e colaborativa. Superamos os obstáculos e pudemos mostrar a todos os participantes que estavam com fones de ouvidos um pouco do processo da audiodescrição e a sua importância social. Tivemos a oportunidade de interpretarmos o que escrevemos e sermos os atores dos nossos próprios trabalhos. 

 

(Júlia Rodrigues e Fabrício Beltramini)

 

(Samantha Beltran e Kelly Alcântara)

 

Parabéns a todos os audiodescritores e parabéns à nossa querida equipe!

 

AUDIODESCRITORES ROTEIRISTAS
Caio Gonçalves
Fabrício Branchini Beltramini
Fernanda Marchezini Brahemcha
Júlia Cardoso Rodrigues
Kelly Alcântara
Ligia Maria Ribeiro
Mariana Sabino Petean Galvão

AUDIODESCRITORES INTÉRPRETES
Fabrício Branchini Beltramini
Fernanda Marchezini Brahemcha
Júlia Cardoso Rodrigues
Kelly Alcântara
Ligia Maria Ribeiro
Luiza Michielin De Santi
Mariana Sabino Petean Galvão
Samantha Lopes Olguin Beltran

AUDIODESCRITOR CONSULTOR
Rafael Nimoi

COORDENAÇÃO
Ligia Maria Ribeiro
Kelly Alcântara (suplente)

IDEALIZADORA DO PROJETO
Ana Julia Perrotti-Garcia

Por Ligia Ribeiro

Gostaria de ler seu comentário sobre o post.