Redirecionamento das atividades tradutórias

 

É possível redirecionar as suas atividades tradutórias ou a sua carreira de tradutor (a)? Sim, mas é necessária uma análise criteriosa do seu perfil e do objetivo a ser alcançado para que esse processo não se transforme em um gargalo, ou seja, em um ponto de estrangulamento ou de anulação do seu desempenho em relação aos novos desafios. E sabemos que quando um projeto não propicia o retorno desejável, o resultado é um sentimento de impotência, de fracasso e de bloqueio na retomada da trilha originalmente escolhida.

Normalmente, visualizamos o alcance de novos patamares: o reconhecimento, a realização de projetos em novas áreas, a obtenção de valores superiores aos atuais e mais prestígio. Todas essas etapas parecem normais em um processo de crescimento profissional. É o que gostaríamos de alcançar, mas para obtermos esse resultado são necessárias algumas avaliações. Vejamos:

 

Avaliação da sua competência tradutória atual

Refere-se à realidade nua e crua de como você se avalia como tradutor (a). Analise friamente os seguintes pontos:

  • Você possui ótimos conhecimentos tanto do idioma de partida como o de chegada ou apenas de uma das vertentes?
  • É capaz de traduzir um texto relacionado a sua área de especialização, mantendo a coerência e a coesão exigidas pelas normas gramaticais do texto de chegada?
  • Tem habilidade para trabalhar com alguma CAT Tool? Caso atue na área audiovisual, sabe usar algum software específico ou ainda perde muito tempo tentando entender a operacionalidade dessas ferramentas?
  • Possui glossários validados ou nem pensou em criá-los?
  • Entrega os seus projetos no prazo estipulado pelo cliente/agência ou solicita com frequência a prorrogação da data da entrega, por não conseguir cumprir o prazo anteriormente acordado?
  • Recebe muitos trabalhos ou raramente é contato para realizar algum projeto de tradução? Aqui, cabe uma ressalva quanto à sazonalidade, pois haverá períodos em que a demanda será mais elevada; outros, de mais escassez, dependendo também das áreas de sua especialização. Considere esse aspecto quando avaliar este item.
  • Os revisores e os clientes apreciam o seu trabalho ou reclamam das muitas alterações feitas, em decorrência dos erros gramaticais ou da inadequação de terminologias?
  • Se solicitados, os clientes ou as agências, para as quais trabalha ou trabalhou, darão boas referências sobre a qualidade do seu trabalho ou terá dificuldade em obtê-las?
  • Você participa de cursos voltados às áreas de sua especialização com o propósito de aprimoramento ou acha que o conhecimento que já possui é o bastante para realizar os projetos que lhe são entregues?
  • Nos grupos, nas redes sociais e nos eventos em que participa, você é reconhecido (a) como um (a) ótimo (a) profissional?

 

Esses são só alguns questionamentos, mas a análise preliminar permite que você descubra quais são as suas qualificações reais, o que você sabe e o que pode usar a seu favor, bem como os pontos que ainda precisam ser solidificados para o alcance do objetivo que tem em mente.

 

Avaliação do novo patamar a ser atingido

Estamos falando em mobilidade, seja ela horizontal ou vertical. Porém, significa que o seu objetivo é o crescimento profissional, a realização de projetos mais complexos e a obtenção de mais visibilidade, como os exemplos a seguir:

– atuar como mentor (a) para tradutores iniciantes;

– ser palestrante em algum evento ou congresso de tradução;

– tornar-se autor (a) de livros sobre tradução;

– ter um canal de vídeos no YouTube;

– criar um blog direcionado à área de tradução;

– ministrar cursos relacionados às áreas de atuação;

– tornar-se tradutor (a) juramentado (a);

– atuar como revisor (a);

– trabalhar como PM de uma agência;

– obter credenciamento de uma associação de tradutores;

– criar a sua própria agência de tradução.

 

Perceba que precisará subir alguns degraus para atingir os patamares mais altos. O primeiro passo é saber o que é preciso para alcançar o seu objetivo. Faça os seguintes questionamentos:

  1. Qual é a minha meta?
  2. Em qual data (dia, semana, mês e ano) pretendo atingi-la?
  3. O que é preciso para alcançar o meu objetivo? Quais são os requisitos necessários?
  4. Quais as qualificações que já possuo para realizá-lo?
  5. O que ainda falta?
  6. Como e onde buscar esse aprimoramento?
  7. Quanto terei que desembolsar nesse processo?
  8. Que mudanças precisarão ser feitas nas minhas atividades profissionais e pessoais para conseguir o que desejo?
  9. Com quem posso contar, caso seja necessário algum suporte financeiro ou alguma consultoria profissional?
  10. Qual será o primeiro passo em busca do meu objetivo?

 

Rolling up your sleeves and starting to work

Arregaçar as mangas e começar a trabalhar.” Isso mesmo. Você já sabe quais são as suas competências verdadeiras e atuais e os pontos que precisam ser aparados. Já sabe o que é preciso para alcançar o que deseja. Agora, é traçar o seu plano de ação. Se tiver dúvidas durante o processo,

 

PESQUISE e PERGUNTE

 

Dependendo da complexidade do seu objetivo, é bem provável que precise, por exemplo, de um consultor de marketing para ajudá-lo (a) a criar a sua marca, o seu website e todo o seu material promocional, ou de um consultor financeiro para lhe dar suporte para abrir a sua empresa. Analise essa necessidade, incluindo os gastos financeiros.

Neste post, é preciso também abordar o fator “QI” (quem indicou), pois é muito provável que ele cause um forte impacto a sua meta. Mas para que alguém possa dar referências e indicações sobre você, é crucial que a pessoa conheça o seu trabalho, o seu envolvimento na área e a sua postura nos mais diversos meios de comunicação. Portanto, fazer o seu melhor já é um caminho andado.

O processo de redirecionamento de atividades e até de carreiras é exatamente esse:

  • avaliar o que é necessário para atingir o que queremos;
  • analisar, de forma consciente e crítica, o conhecimento e as habilidades que já possuímos;
  • compreender e buscar o que ainda falta assimilarmos.

 

ALERTA!

 

  1. Evite achar que o conhecimento que já possui é o suficiente, independente da experiência que tenha como tradutor (a). Lembre-se de que a cada dia surgem novidades, principalmente, na área tecnológica. O aprendizado deve ser contínuo.
  2. Seja visionário (a), antecipe-se às mudanças e enxergue o futuro e as oportunidades que surgirão.
  3. Seja flexível e adapte-se às adversidades. Entenda o ponto de vista do outro e respeite.
  4. Cuide do seu perfil e da sua imagem, seja nas redes profissionais ou sociais.
  5. Economize, caso você tenha que despender de uma verba que não possui para atingir o seu objetivo.
  6. Concentre-se no que realmente é importante para você e não fique parado (a) à espera de que alguém lhe dê carona. Corra atrás da sua meta.
  7. Prepare-se. Entenda que quanto mais preparado (a) e capacitado (a) você estiver, melhores as chances de mostrar o seu desempenho e o seu diferencial e, consequentemente, conseguir o que almeja.

 

A mobilidade é extremamente enriquecedora, pois você adquirirá novos conhecimentos e ganhará mais autoconfiança para enfrentar novos desafios. Basta você fazer a lição de casa. Não perca tempo. Acredite em você e siga em frente!

Sucesso sempre!  😀

Gostaria de ler seu comentário sobre o post.