Qualquer pessoa pode traduzir

Qualquer pessoa pode traduzir? Sim. Não é preciso ter formação em Tradução nem em Letras. Se você for da área de Exatas ou Biológicas, por exemplo, pode perfeitamente traduzir. E há dicionários eletrônicos que facilitam a busca por palavras e até expressões, mas… Achou que não haveria um “porém” nessa história, não é?

 

Qualquer pessoa pode traduzir, no entanto, nem todos que traduzem podem ser bons tradutores, e se o seu cliente gostará da qualidade da sua tradução, são outros quinhentos. Não entendi? Se você disse que qualquer um pode fazer isso com a facilidade de busca por palavras na internet, por que o meu cliente não iria gostar da minha tradução? Porque para traduzir um texto, por exemplo, não basta só pesquisar os termos dos quais você não sabe o significado do idioma de partida (original) para o idioma de chegada (traduzido). Em outras palavras, se durante o processo de tradução você não souber o significado de uma determinada palavra, pode procurá-la em dicionários eletrônicos, mas isso não garante uma ótima tradução. Veja alguns pontos que são essenciais a um bom tradutor:

 

1. Terminologia correta

Como disse, é muito mais fácil ter à disposição dicionários eletrônicos que otimizam a sua pesquisa por uma palavra específica. No entanto, um simples vocábulo pode ter vários significados. Qual deles é o correto? Se você já tiver experiência na área, provavelmente saberá qual das opções escolher. Entretanto, para quem está iniciando, essa dúvida pode lhe custar o emprego da terminologia correta.  Um exemplo bem simples da área médica relacionado a um estudo clínico:

Blinded:     cego

Unblinded:   sem ocultação (?)

Você encontraria facilmente essa tradução em um dicionário. Se não atuasse na área nem tivesse prévios conhecimentos, poderia traduzir “Unblinded Study” por “estudo sem ocultação” ou por um destes sinônimos: visível, descoberto, desvendado, exposto, revelado, conhecido, etc. Qualquer um serviria, não é mesmo?

Errado. Na terminologia médica, o termo mais utilizado para “Unblinded Study” é “estudo sem mascaramento”. E o primeiro errinho já aparece. Imagine o que ocorreria com a tradução de um texto de 5.000 palavras repleto de terminologias específicas!

 

2. Coesão

Um texto bem traduzido precisa ser lido de forma natural, sem entraves. A coesão contribui para que haja harmonia e fluidez no texto, tornando a sua leitura fácil e agradável aos ouvidos dos leitores. Para que isso ocorra, a disposição das palavras em uma frase com o uso de pronomes, advérbios e outros conectivos é primordial.

Veja este exemplo simples:

  • O aluno foi à biblioteca para pegar um livro para ler e não encontrou o livro que ele queria, por isso, ele foi embora.
  • O aluno foi à biblioteca para retirar o livro que desejava ler, mas foi embora, pois não o encontrou.

A segunda frase foi reconstruída para dar fluidez e naturalidade ao texto.

NOTA: há outras maneiras de reescrevê-la. A construção utilizada é apenas uma delas.

 

3. Coerência

A coerência é o uso de fatos consistentes na oração que gerem compreensão do que está escrito. Em outras palavras, é preciso haver uma relação lógica entre os fatos para que o leitor consiga entender o raciocínio do autor. Exemplo:

  • Um dos atuais problemas da minha cidade ainda é a falta de um bom sistema de saúde. A prefeitura contratou médicos, comprou equipamentos e, hoje, a saúde melhorou bastante.

 

Observe a incoerência entre as duas frases: ambas indicam situações diferentes (problema versus melhoria) em um mesmo período de tempo (hoje). Não faz sentido.

Veja a diferença:

  • Um dos atuais problemas da minha cidade é a falta de um bom sistema de saúde. A prefeitura contratou médicos e comprou equipamentos para que trazer melhoria a esse setor.

NOTA: há outras maneiras de reescrever as frases. A construção utilizada é apenas uma delas.

 

4. Conhecer bem a gramática

Conhecer a gramática do idioma para o qual o texto será traduzido é primordial, ou seja, atentar para a pontuação, acentuação, regência, concordância, etc. Um bom tradutor não comete erros primários ou, pelo menos, não deveria cometer. A revisão faz parte das suas atividades. Não pense que basta traduzir um texto. Revisá-lo uma, duas, três ou mais vezes é essencial. E se acha que é muito, saiba que mesmo depois de tantas revisões, é possível que ainda haja alguma correção a ser feita. 

 

Há muito mais além desses quatro pontos abordados, por exemplo: adaptação para melhor entendimento do leitor ou telespectador, readequação da linguagem do texto em conformidade com a preferência do cliente, assimilação dos termos empregados na área específica, localização para melhor adequação cultural, etc. 

 

Resumindo, qualquer pessoa pode traduzir. No entanto, nem todas serão boas tradutoras. Se você não estudar, não se dedicar, não pesquisar, não revisar o que traduziu e pensar que basta um dicionário eletrônico para realizar um projeto, a sua tradução acabará fazendo parte do rol da infâmia, como estas:

 

Português                 Inglês

Queijo Minas             Cheese Mine

Pão com Frios            Bread with cold

Carne fumada            Smoked Beef 

Costume                    Costume

       Marcas que rolam     Brand role

Para o almoço           To be launched 

 

Achou que foram inventadas? Não. Aguarde o próximo post. O inimaginável também ocorre na tradução.

Ligia Ribeiro

 

Gostaria de ler seu comentário sobre o post.