O xadrez da vida

No jogo de xadrez, o peão é a primeira peça a ser eliminada, mas ele pode enfrentar os adversários, dar a volta por cima e se transformar em uma peça-chave. Você sabia disso?

No dia 24 de novembro de 2018, fiz uma apresentação sobre audiodescrição no Barcamp do ABC, um encontro informal de tradutores e intérpretes. Ao fazer uma analogia entre as pessoas que não se qualificam e que são logo de cara “descartadas” profissionalmente com o peão do tabuleiro de xadrez, a professora Patrícia Sosa da universidade Metodista me falou sobre um vídeo intitulado “O xadrez das cores”. No dia seguinte, procurei esse vídeo no YouTube e descobri algo que mudou o meu modo de pensar.

O curta-metragem de Marco Schiavon (link do vídeo) fala sobre o preconceito racial, no entanto, o que mais me chamou a atenção foi o peão do xadrez. Descobri que se ele chegar ao outro lado do tabuleiro, pode ser promovido, tornando-se uma rainha, a peça mais poderosa do jogo. Nunca soube disso. Já joguei xadrez em alguns momentos da minha vida, mas jamais fui vencedora; a minha rainha sempre era capturada e o jogo passava de divertido a entediante. E quanto ao peão? Para mim, a única serventia era ganhar alguns pontinhos de início com essa peça simples, aliás, “peças”, pois são dezesseis no total, oito para cada jogador. Realmente, não era algo que me despertasse a minha atenção, mas… todavia… porém… contudo…

Se olharmos ao nosso redor, veremos pessoas que estão no seu casulo, quietas, sem muito alarde, só esperando a hora de se transformarem em lindas borboletas e alçarem voo em busca da concretização de projetos mais complexos, que lhe tragam visibilidade e reconhecimento. Há alunos que fazem mestrado e doutorado e se tornam excelentes pesquisadores e professores; tradutores que se destacam na sua especialidade e acabam ministrando ótimas palestras e cursos; outros, tornam-se consultores; e assim por diante.

Do outro lado da moeda, há pessoas que descartam essa notoriedade explícita e preferem ser comedidas, no entanto, mesmo no anonimato, não deixam de conquistar o respeito dos clientes e dos colegas pela qualidade do seu trabalho. Todos esses indivíduos, de modo peculiar, são guerreiros, querem ultrapassar os obstáculos e atingir os seus objetivos.

Das universidades ao alto grau de profissionalismo e, consequentemente, ao reconhecimento há um longo caminho a percorrer. Entretanto, só os que se dedicam, realizam o seu trabalho com afinco, investem em aprendizado, têm a ânsia pelo conhecimento, enfrentam obstáculos com garra e lutam para vencer é que conseguirão sair da posição inicial de um peão, que logo de início seria eliminado do jogo e esquecido em um canto qualquer até o começo de uma nova partida, para ocupar um lugar de destaque no jogo de xadrez: a posição da rainha.

E o melhor é que isso é possível. Transforme-se em 2019 e conquiste vitórias no seu jogo da vida.

Por Ligia Ribeiro

 

2 thoughts to “O xadrez da vida”

    1. Oi, Cris!
      Obrigada. Desculpe a demora em te responder, mas estava cuidando do meu novo site e realizando trabalhos. O fim de ano está bem puxado.

      Beijo

Gostaria de ler seu comentário sobre o post.